quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Encontro da Diversidade Cultural do ABC III

Durante os dias 21, 22 e 23 de novembro, a Universidade Federal do ABC junto ao SESC realizou o encontro da diversidade cultural do ABC, sendo sediado nos dois primeiros dias (21 e 22) no campus de São Bernardo do Campo da UFABC, e no ultimo dia (23) no SESC. A Equipe do projeto de extensão Memória dos Paladares acompanhou o GT 2 - Cidadania e Direitos Culturais: Salvaguarda do direito a memória e identidade cultural, que teve como mediadora a Professora Doutora Ana Maria Dietrich e a participação do Grupo de Jongo Preta Bandeira (Santo André) e Ilê Axé Abê Manjá Orubarana(Diadema), representados por  Leandro Valquer e Pai Nelson, respectivamente.

O primeiro relato foi o de Pai Nelson, que começou falando um pouco da história do Terreiro de Iyêmanjá, que em 2013 completa 50 anos de existência. O terreiro foi fundado por sua mãe, Augusta Vicente de Freitas, e atualmente Pai Nelson faz parte da direção do terreiro. Em seu relato Pai Nelson enfatizou a necessidade de respeito entre as religiões, pois há muito preconceito e equívocos quando se trata de religiões diferentes das judaico-cristãs, ainda mais em um país como o Brasil, que teve por muito tempo o catolicismo como religião oficial, as religiões de raízes africanas sofrem muito deste preconceito. Enquanto falava também pontuou o quanto a oralidade é importante em sua religião, onde os ensinamentos são passados de forma oral.

A Professora Doutora Ana Maria Dietrich abordou o tema “Direito à Memória x Dever à Memória”, em seu discurso falou de memória e patrimônio, também falou sobre o dever à memória e da importância de preservá-la mesmo quando a mesma não é bela. Falou sobre a dificuldade de diferenciar o que é e o que não é patrimônio, e da importância da participação da sociedade nesse processo.


O ultimo relato foi o de Leandro Valquer, do grupo de jongo preta bandeira, onde falou do jongo, que é uma manifestação cultural criada por escravos no período da escravidão. Ele falou sobre a história do grupo  que surgiu em janeiro de 2013. 





Postado por: Felipe Silva dos Santos, discente do Bacharelado de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do ABC e voluntário do Projeto de Extensão Memória dos Paladares.