domingo, 24 de novembro de 2013

Memória dos Paladares no I Congresso Internacional América Latina e Interculturalidade - I


Intervenção Cultural do projeto de Extensão Memória dos Paladares
            O I Congresso Internacional América Latina e Interculturalidade foi relizado no Parque Tecnológico de Itaipú, na cidade de Foz do Iguaçu, estado do Paraná, durante os dias 07 a 09 de Novembro de 2013. O projeto de Extensão da UFABC: "Memória dos Paladares - trocando saberes e sabores com a comunidade do entorno da UFABC", foi convidado a realizar uma intervenção cultural das atividades "Túnel das Sensações" (ver figuras 1 e 2 abaixo) e exposição fotográfica "Fome de você" (ver figuras 3). Ambas atividades foram desenvolvidas em outras oportunidades dentro da UFABC e em outros congressos, como na USP.

Figura 1 - Participantes do Túnel das Sensações durante o Congresso

Figura 2 - Participante do Túnel das Sensações tentando adivinhar os cheiros e sabores

            A atividade "Túnel das Sensações" consiste numa atividade que estimula os sentidos das pessoas. Por meio de temperos, frutas e especiarias é proposto ao participante tentar adivinhar quais são os alimentos que ela está em contato, porém com os olhos vendados. Muitas vezes as pessoas utilizam esses alimentos no dia-a-dia no preparo de pratos, porém não param para cheirar e sentir o aroma que eles possuem. A interação das pessoas com o Túnel das Sensações proporciona aos participantes uma viagem pela mente para tentar identificar qual cheiro cada alimento possui e tentar adivinhá-lo, muitas vezes as pessoas sabiam o que era, mas não lembravam o nome. Esse congresso em especial, agregou muito valor ao nosso trabalho, pois em contato com pessoas da Colômbia e Venezuela pudemos aprender outros nomes que esses alimentos recebem em seus países. Por exemplo, tivemos a participação da uma estudante da UNILA, vinda da Colômbia, Maria Lucilia Emilien, nos contou que cravo da índia em seu país é conhecido como clavo espécie; camomila, como manzanila e maça como manzana. Essa troca de saberes e sabores que túnel das sensações proporcionou a todos os participantes foi de extrema importância para todos que estiveram presentes.
            A exposição Fome de Você (ver figura 3) foi apresentada aos participantes e ficaram encantados com o trabalho. A exposição é resultado do I Encontro do projeto Memórias dos Paladares na UFABC, neste ano de 2013. O tema desse encontro foi o Consumo Consciente e justamente no dia dos Namorados. Por isso o tema da exposição, "Fome de Você", trazia casais em momentos de refeição, sempre ao lados de pratos e comidas. Combinamos as fotos com letras de músicas relacionadas a comida e isso trouxe vida a exposição. Ao final da visita a exposição as pessoas ganhavam uma frase retirada de alguma canção. Elas ficavam ansiosas esperando alguma mensagem de amor, felicidade e prazer.

 Figura 3 - Exposição fotográfica "Fome de Você"
   
Pesquisa de Campo
            Foram realizadas pesquisas de campo durante o período que estivemos em Foz do Iguaçu para podermos identificar a cultura alimentar local. De início o que nos surpreendeu foi a quantidade de restaurantes Árabes que encontramos na cidade, sobretudo na Avenida Juscelino Kubitschek (ver figura 4 e 5). Para descobrir o motivo que leva a cidade a ter tantos estabelecimentos dessa natureza, fomos pesquisar.

Figura 4 – Um dos restaurantes árabes da avenida Juscelino Kubitschek

Figura 5 – Restaurantes Árabes em Foz do Iguaçu

            Foz do Iguaçu está localizada no extremo oeste do estado do Paraná, às margens dos rios Paraná e Iguaçu, seu espaço territorial faz fronteira com a Argentina e o Paraguai, formando uma tríplice fronteira, fato que; junto à sua diversidade cultural, a torna uma localidade diferenciada. De acordo com André Ricardo Domingues,  tendo em vista Foz do Iguaçu, os primeiros imigrantes árabes chegaram na década de quarenta, posteriormente outros grupos vieram pelos anos de 1970 e 1990, motivados principalmente pela grande abertura do comércio paraguaio e qualidade de vida.  Segundo a Delegacia de Polícia federal de Foz do Iguaçu, entre os imigrantes árabes presentes na cidade, encontram-se indivíduos provenientes da Argélia, Egito, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Marrocos, Síria e Palestina.
            A comunidade árabe de Foz do Iguaçu é participativa no cotidiano do município, pois além de se fazer fortemente presente no comércio em geral, participa da Feira das Nações, Artesanato, Turismo e Cultura, onde evidenciam suas tradições e costumes através de suas vestimentas, danças, gastronomia, e demais aspectos ligados à sua cultura. Portanto, Foz do Iguaçu é uma localidade onde se pode vivenciar a presença sócio-cultural árabe de forma explícita, principalmente na área central da cidade, onde facilmente encontram-se pessoas com vestimentas tradicionais árabes, mercado típico, lojas de roupas e utensílios árabes e diversos equipamentos gastronômicos especializados em comida típica árabe, os quais comercializam esfirras, shawarmas, beiruts, kaftas e outros pratos e iguarias, o que certamente ratifica a visualização destes produtos como parte da oferta comercial e turística de Foz do Iguaçu [1].
            Dentre algumas das comidas típicas destacamos as esfirras e shawarmas. Abaixo segue um pouco da história de cada prato.

Esfirras
Esfirra ou esfiha (ver figura 6) é uma pequena torta assada originária da Síria e do Líbano, e encontrada em outros países do Oriente Médio, como a JordâniaPalestina e Iraque, além do Brasil e Argentina, para onde foi levada por imigrantes árabes (sírio-libaneses) e tornou-se extremamente popular.
Existem diversas receitas de esfirra. A forma tradicional sempre é feita com massa de pão, assada no forno, com recheios que podem ser de carne bovina, carne de carneiroqueijocoalhada ou verduras temperadas [2].
Figura 6 – Esfirras tradicionais de carne bovina
Shawarma
Shawarma (ver figura 7) é um prato árabe originalmente composto de fatias finas de frango ou carne de vaca assados em um espeto vertical e servidas no pão sírio com legumes e outros acompanhamentos. Tornou-se popular na Europa como comida rápida, graças à influência de imigrantes do norte da África e da Turquia. Em Foz do Iguaçu, no Brasil, se popularizou com chegada do imigrantes libaneses que vivem na Tríplice Fronteira. Logo se expandiu para toda região oeste do Paraná, onde hoje é popular em várias cidades [3].

Figura 7 – Shawarma

O Congresso e a pesquisa de campo puderam proporcionar outros olhares e reflexões sobre a riqueza cultural e a interferência alimentar de outras nações na culinária brasileira e como isso interfere na vida das pessoas. A quantidade de restaurantes árabes em Foz do Iguaçu é consequência do processo imigratório do povo árabe para diversas partes do mundo. Eles existem para atender a demanda que existe na cidade e se popularizaram entre os brasileiros. Segundo relatos de pessoas da cidade, árabes, turcos e chineses exercem grande influência na região da Tríplice Fronteira, sobretudo no comércio do Paraguai. A vinda de outras culturas proporcionou essa cidade ser gastronomicamente diversificada e atende a todos que por lá passam, seja a passeio ou para morar.

Referências
[1] O processo imigratório da Comunidade Árabe e suas inserções culturais no território de Foz do Iguaçu-Pr. Disponível em: < http://www.partes.com.br/2013/03/04/processo-imigratorio-da-comunidade-arabe/ >. Acesso em: 11.Nov. 2013.
[2] Esfirra ou Esfiha. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Esfirra>. Acesso em 11.Nov.2013.

[3] Shawarma. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Shawarma>. Acesso em 11.Nov.2013.


João Vitor C. de Melo é estudante doBacharelado em Ciência & Tecnologia da Universidade Federal do ABCe bolsista do projeto de Extensão Memória dos Paladares